Apresentação

Rafa fecha os olhos e mergulha dentro de si. Vai buscar o que precisa, o que deseja. Os mergulhos, que antes se mostravam seguros, ficam arriscados, perigosos. De repente, Rafa desaprende a nadar. A sorte é que, na hora do desespero, o nosso aventureiro vê uma tábua de salvação e se agarra a ela. Será que, depois desse susto, Rafa abandonará os mergulhos ou ficará muito mais motivado para desbravar outros mares?


Image-placeholder-1

Trecho do Livro

“...
Outro dia, Iolanda, a mãe de Rafael, ficou trabalhando em casa e não desgrudou do telefone nem por um minuto. Sem que ela suspeitasse, Rafa pegou um barquinho, remou, remou, remou e alcançou o alto-mar. Mergulhou. Foi até as profundezas buscar um tipo raro de silêncio para presentear a mãe. Satisfeito, voltou para o barco e, em seguida, para o quarto. Escondeu os remos num baú de preciosidades invisíveis e seguiu para a sala.
Iolanda já havia largado o telefone. Respirou fundo e sorriu para o filho. Um fez companhia para o outro. Não precisaram trocar uma palavra, apenas ouviram um silêncio profundo, necessário. Iolanda sentiu-se em paz ao lado do filho.
...




VOLTAR PARA CATEGORIA